Minha foto
arine-chan é uma arquiteta que curte comer bem, dormir bem e ama seus amigos e sua família. gosta de um seriado na tv, fazer compras, cozinhar e tem uma preguiça maior que o mundo de fazer faxina. seu lema é: pra que arrumar a cama de manhã se você vai desarrumá-la a noite?

quinta-feira, 14 de maio de 2009

A PRIMEIRA VEZ...

Ahá, aposto que você já pensou besteira quando leu o título do post.
Na verdade eu não completei, mas o título inteiro seria:
"A primeira vez que uma faxineira veio no meu apê"
Faz dois anos e quatro meses que eu moro num quarto-e-sala, e como você pode ler pelo título, nunca tinha ido uma faxineira lá depois que eu me mudei.
Não pense que meu apê era um chiqueiro, não é isso. Eu costumava deixar ele "limpinho", ou seja, varria, passava um paninho, e quando muito tirava o pó da prateleira da sala.
Mas é claro que tem aqueles lugares onde você, ou não alcança, ou não tá a fim de limpar mesmo, porque o nível de sujeira alcançou tal ponto que você fica com nojo.
Aí é que entra a faxineira, que é alguém que você paga pra fazer o que você não tá a fim.
Minha prima (thanks, prima) fez a gentileza de mandar a faxineira dela, e nós combinamos dela ir em casa na sexta ao meio-dia, porque pelo tamanho do lugar, não ia precisar mais que isso.
O que eu não contava era que ia dar tanto trabalho que nem deu tempo dela fazer tudo.
Minha mãe achou que ela cobrou caro por meio dia de serviço, mas o que são R$30,00 pra você não precisar mais pensar em limpar as janelas ou embaixo da cama?
O banheiro até que não estava tão pavorento, mas a verdade é que, por mais que eu esfregasse, durante o banho, não conseguia tirar todo o limo do rejunte dos azulejos. Claro que tinha que ter o segredinho né: "você não tem Q-boa?" e eu: "não, precisa?" e ela: "ah, precisa, pra limpar banheiro precisa de Q-boa".
E lá vou eu pro supermercado pra buscar, e meus rejuntes ficaram uma beleza de limpos.


Os rejuntes ficaram limpinhos, mas achei meio tenso fazer isso, porque quando eu entrei no banheiro enquanto ela limpava, o cheiro era forte heim... acho que tem que tomar cuidado...

Primeiramente, eu tive que fazer um preparo no apê pra minha faxineira, uma noite antes.
Que se resumiu a dar uma organizada nas roupas e não deixar coisas espalhadas pela casa.
O que complica, na minha casa, é que eu não tenho guarda-roupa. Eu deixo todas as minhas roupas penduradas em cabides, numa arara que eu ganhei do meu colega de trampo. Imagina o tanto de cabide que eu tenho... O ruim disso é que acumula pó nas roupas que você não usa muito, o que me leva a crer que o próximo dinheirinho que sobrar e não for pra pagar o restante do meu carro novo (depois escreverei um post sobre isso), vai ser pra comprar um guarda-roupa.


Essa muvuca é minha arara... embaixo ainda tem umas caixas de plástico onde eu guardo coisas e coloco roupas em cima delas, e do lado eu coloco lençóis e toalhas.

Fora isso, eu tenho muuuita tranqueira. Não sei como uma pessoa só consegue acumular tanta porcaria, mas sim, eu consigo.
Então foi isso, a faxineira veio, olhou (seus olhos iam se arregalando a cada cômodo, graças aos céus são só 4, senão acho que ela ia sair correndo), e começou a faxinar. Quando eu voltei da compra da Q-boa, ela disse a seguinte pérola: "Nossa, faz quanto tempo que você não faz faxina?"
Bom, faxina verdadeira, de verdade mesmo, fazia eras...
O fato é que eu fui trampar e quando eu cheguei a casa estava limpinha e com cheirinho de desinfetante. Delícia!

2 comentários:

  1. Tah vendo Djooo o que dah morar sozinha? maloca maior impossível neh?! ahgahuauhauhhuahu

    mas usa a QBoa! que resolve! =D

    bjos Fi
    http://abstrato-relativo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. próxima faxina, só no século XXII...


    hahahahahaha

    ResponderExcluir

Loading...